Ministro da Saúde visita a Santa Casa de Marília e anuncia implantação de unidade de radioterapia com investimentos de R$ 8,3 mi


Ricardo Barros esteve na cidade no dia 23 de fevereiro

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, visitou a Santa Casa de Misericórdia de Marília no dia 23 de fevereiro. Na oportunidade, foi anunciada a inclusão do hospital no Plano de Expansão da Radioterapia. Investimento de R$ 8,3 milhões do governo federal vai garantir a construção do bunker e a compra do acelerador linear para o novo serviço, que será implantado na esquina da rua 21 de abril com a Bartolomeu Bueno. A expectativa é que mil pacientes sejam atendidos anualmente na unidade.

“Sabemos da necessidade de atendimentos de radioterapia na região de Marília e do papel de grande prestadora de serviços em atendimentos oncológicos da Santa Casa. Estamos liberando os recursos para o início das obras. Casamata vai ser construída e o equipamento adquirido. Acredito que em um ano esteja tudo efetivado”, destacou o ministro Ricardo Barros.

O provedor da Santa Casa de Marília, Milton Tédde, agradeceu o ministro

O provedor da Santa Casa de Marília, Milton Tédde, fez questão de agradecer o ministro por tudo o que tem feito pela região. “Estive recentemente com o ministro Ricardo Barros durante a assinatura de convênios e já tive outros contatos com ele. Aqui no hospital desenvolvemos o nosso trabalho com muita seriedade, com toda a retaguarda da nossa diretoria executiva. Não podemos depender exclusivamente do governo e procuramos fazer a nossa parte da melhor forma. Mas ter um apoiador, como é o caso do atual ministro da Saúde, tornam as coisas muito mais fáceis”.

O superintendente da Santa Casa, Sérgio Stopato Arruda, fez uma breve apresentação da atuação do hospital para uma população de 1,2 milhão em 62 municípios do DRS IX (Departamento Regional de Saúde de Marília). “Temos uma gestão transparente e contamos com a ajuda da sociedade mariliense e dos parlamentares, que têm conseguido a liberação de emendas importantes para a aquisição de equipamentos e adequações da nossa estrutura física. Estamos com o projeto pronto e estes recursos do Ministério da Saúde vão nos ajudar a melhorar ainda mais os atendimentos oncológicos já prestados, permitindo a integralidade do atendimento”.

O superintendente Sérgio Stopato Arruda fez uma apresentação da atuação do hospital

Acompanharam o ministro da Saúde em Marília os deputados federais: Walter Ihoshi (PSD), Milton Monti (PR), Capitão Augusto (PR), Fausto Pinato (PP), Guilherme Mussi (PP) e Vinícius Carvalho (PRB), além dos deputados estaduais Abelardo Camarinha (PSB) e Delegado Olim (PP).

Ricardo Barros anunciou a liberação de R$ 26,3 milhões para serviços de saúde pública na região, em um total de R$ 104,9 milhões liberados durante os 600 dias dele à frente do Ministério da Saúde.

O ministro Ricardo Barros no salão de reuniões da Santa Casa de Marília

O ministro destacou ainda que R$ 18 milhões serão investidos no atendimento de urgência e emergência de Marília, Tupã, Ourinhos e Assis – recursos a serem incorporados ao teto de unidades prestadoras de serviços em média e alta complexidades.

Atendimentos

A Santa Casa de Marília já realiza consultas médicas, sessões de quimioterapia e cirurgias na área de oncologia, tanto infantil quanto adulto. Com a implantação da unidade de radioterapia, o atendimento vai passar a ser completo com as sessões através do acelerador linear.

Ministro Ricardo Barros com representantes da direção da Santa Casa e autoridades

Déficit no serviço

De acordo com o Ministério da Saúde, a inclusão da Santa Casa de Marília no Plano de Expansão da Radioterapia veio após análise que constatou um déficit no serviço na região.

Ao todo serão entregues pelo Ministério da Saúde 140 aceleradores lineares em todo País. Cerca de R$ 500 milhões foram investidos para a aquisição de 100 aceleradores lineares, além da realização de projetos e obras. Os outros 40 aceleradores serão adquiridos com recursos de convênios.

Para o ministro da Saúde, Ricardo Barros, essa medida vai ampliar o acesso da população a procedimentos oncológicos no SUS (Sistema Único de Saúde). “Estamos avançando o mais rápido possível na oferta dos serviços de radioterapia no país. Temos priorizado novas instalações com o objetivo de ter mais serviços e serviços mais próximos do cidadão”, afirmou o ministro ao Portal do Ministério da Saúde.

Os aceleradores lineares são equipamentos de altíssima complexidade tecnológica e não podem ser instalados sem os devidos cuidados com a proteção radiológica. As instalações exigem espaço físico com características peculiares e distintas das construções tradicionais de estabelecimentos e unidades de saúde, uma vez que envolve, por exemplo, sistemas de climatização específicos, refrigeração da água, sistema elétrico diferenciado e maior espessura das paredes.

Números

Atualmente, o Brasil possui 243 aparelhos para tratamento de radioterapia na rede pública em funcionamento. Até 2019, considerando a inclusão de novos aparelhos, substituições e habilitações, o País passará a ter 331 aceleradores lineares disponíveis para atendimento à população.

Conforme o Portal do Ministério da Saúde, nos últimos anos observou-se uma crescente oferta da radioterapia no País. Em 2010, foram realizados 8,3 milhões procedimentos de radioterapia. Em 2016, foram 10,45 milhões, um aumento de 25,9%.

Vale ressaltar que essa ampliação também é resultado do investimento realizado pelo Ministério da Saúde na compra de aceleradores lineares, por meio de convênios. Consequentemente, a pasta ampliou, em seis anos, 46% os recursos para tratamentos oncológicos (cirurgias, radioterapias e quimioterapias), passando de R$ 2,27 bilhões, em 2010, para R$ 3,33 bilhões, em 2016.

Em 2017, foram registrados em São Paulo 3.177.302 procedimentos oncológicos, sendo 25.583 cirurgias oncológicas, 676.159 mamografias, 298.835 quimioterapias, entre outros procedimentos. 






Fonte: Assessoria de Imprensa da Santa Casa
Comentarios do Facebook:



Links Úteis