Com 40 anos de Santa Casa de Marília, provedor Milton Tédde deixa legado de liderança, seriedade e voluntariado


Valorização dos colaboradores do hospital sempre foi uma marca de Milton Tédde  

O provedor da Santa Casa de Misericórdia de Marília, Milton Tédde, faleceu aos 84 anos neste dia 25 de fevereiro, deixando um legado de liderança, seriedade e voluntariado. Foram 40 anos dedicados ao hospital e uma vida com atuações de destaque como empresário, pecuarista e representando diversas entidades da cidade.

Milton Tédde deixa a esposa Barbara Dabus Tédde e os filhos Vilma Tédde de Moraes, Milton Tédde Filho, José Luiz Tédde e Fábio Tédde, além de netos e bisnetos.

O 1º vice-provedor da Santa Casa de Marília, Norival Carneiro Rodrigues, disse que Milton Tédde deu a sua vida para o hospital. “Um homem dedicado à família, ao comércio de Marília. A Santa Casa e a cidade como um todo devem muito a ele. O Milton sempre dizia que a Santa Casa era o segundo lar dele. Estou há 25 anos como voluntário do hospital e posso dizer do irmão, companheiro e grande mestre que perdi. Uma pessoa dedicada à filantropia que merece o reconhecimento de toda a sociedade pelos grandes feitos”.

O superintendente geral da Santa Casa de Marília, Sérgio Stopato Arruda, ressaltou alguns dos pontos marcantes de Milton Tédde. "Um líder, filantropo, visionário, íntegro. O Sr. Milton era uma pessoa exigente, firme, mas ao mesmo tempo de um coração gigante, um amigo, um pai", disse ele, emocionado. "Como provedor ele foi fundamental. Com liderança e visão de futuro restabeleceu a credibilidade da instituição com muita transparência, seriedade e cumprindo com todas as obrigações, sendo fundamental para que o hospital caminhasse para um crescimento sólido, sempre dando muita importância e valorizando todos os colaboradores", acrescentou.

Na Santa Casa de Marília

Em 31 de março de 1982, o então provedor da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Marília, Clóvis de Cerqueira César, convida Milton Tédde a ocupar uma vaga de mesário na Irmandade, em função do falecimento de João Neves de Camargo.

Em 12 de março de 1985, Milton Tédde assume o cargo de 2º secretário da Mesa Administrativa da entidade, em decorrência do falecimento do irmão Arnaldo Mendes de Oliveira.

De 1988 a 1991, Milton Tédde assume, na provedoria de Eleudino Cassiano Garcia, o cargo de 1º secretário da mesa administrativa da entidade, permanecendo no cargo nos triênios de: 1991-1994, 1994-1997 e 1997-2000.

De 2000 a 2003, ele assumiu o cargo de 1º vice-provedor, permanecendo também nesta função, no triênio 2003-2006.

Em 2007, o então provedor Júlio César Brandão deixou o cargo de provedor da entidade e foi então que Milton Tédde assumiu então a provedoria, permanecendo no cargo até fevereiro de 2021. Foram aproximadamente 14 anos de serviços prestados na gestão da unidade hospitalar, com grandes conquistas e realizações como a inauguração do Complexo Ambulatorial “Bento de Abreu Sampaio Vidal”, do novo centro cirúrgico e da reforma dos apartamentos das alas E e F, entre muitas outras. 

Federação das Santas Casas

Bastante respeitado no meio hospitalar por implantar um modelo de gestão de sucesso na Santa Casa de Marília, Milton Tédde foi convidado a ocupar cargo de destaque na Fehosp (Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos do Estado de São Paulo) em 2011, quando assumiu como diretor administrativo e financeiro, cargo que ocupava até a data do seu falecimento.

Na CMB (Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas), Milton Tédde esteve como membro titular do Conselho Fiscal, entre 2014 e 2019 e como membro titular do Conselho Consultivo, de 2013 a 2018.

Principais Títulos 

Em 19 de outubro de 2012, Milton Tédde recebeu o título de “Cidadão Mariliense”, da Câmara Municipal. No mesmo ano, ele foi homenageado como “Administrador Hospitalar Emérito” na categoria Hospitais Filantrópicos, pela FBAH (Federação Brasileira de Administradores Hospitalares).

Entidades

Na Acim (Associação Comercial e Industrial de Marília), Milton Tédde ocupou os cargos de 1º tesoureiro, de 1972 a 1977; 1º vice-presidente, de 1977 a 1979; e conselheiro consultivo da associação que representa o comércio da cidade, de 1997 a 2000.

Milton Tédde ingressou no Lions Clube de Marília em 1967 e foi presidente da entidade por duas gestões: 1971-1972 e 1987-1988. Na Legião Mirim, ele foi tesoureiro de 1977 a 1995 e presidente em 2008-2009.

No MTC (Marília Tênis Clube), Milton Tédde foi 1º tesoureiro, de 1972 a 1984, época em que o clube figurava entre os principais da cidade e contava com grande quantidade de associados. Também foi diretor de patrimônio do MAC (Marília Atlético Clube) na gestão do presidente Pedro Márcio Góes Monteiro.

Na esfera sindical, diante da grande atuação dele como pecuarista, chegou a ser presidente do Sindicato Rural de Marília, de 1982 a 1985.

Biografia

Milton Tédde nasceu em Rincão-SP, no dia 13 de fevereiro de 1937. Filho de Ignácio Miguel Tédde e Barbara Gaba Tédde, ele começou a trabalhar muito cedo. Chegou em Marília aos 11 anos de idade e nesta época começou a trabalhar como mascate. Em 1949, conquistou o primeiro emprego como auxiliar de serviços gerais na Casa Mattos Tecidos e de 1951 a 1953 foi contratado como vendedor nas Lojas do Queima Tecidos.

Mas foi em 1954 que Milton Tédde resolveu empreender e trabalhar por conta própria em uma alfaiataria, na qual era o proprietário. Em 1961, ele inaugurou a 1ª loja de tecidos e confecções de roupas masculinas na rua São Luiz, chamada de Alfaiataria: A Oriental. Em 1965, a loja foi ampliada e passou a se chamar Tédde Tecidos Finos – tecidos masculinos e femininos, na São Luiz, 722. Em 1970, o estabelecimento comercial passou por nova ampliação e passou a funcionar em novo endereço, rua na Prudente de Moraes, esquina com a São Luiz. No ano seguinte, tiveram início as atividades da 1ª loja de Confecções, a Tédde Confecções. Em 1975, veio a 3ª loja da famíllia, a Gaba Tecidos e Confecções, na rua Prudente de Moraes, 105, em 1985 a 4ª loja na rua São Luiz, 913 - Tédde Tecidos Finos e Confecções, onde atualmente fica Loja do Magazine Luiza e em 1987, loja de confecções masculinas foi aberta, no mesmo ano de inauguração da Galeria Atenas -  Tédde Moda Masculina.

Após 51 anos como comerciante, encerrou as atividades deixando duas lojas para seu filho, chamadas de: Tédde Moda Masculina. A partir de então, Milton Tédde passou a se dedicar ainda mais à filantropia e também teve atuação marcante como pecuarista.







Fonte: Assessoria de Imprensa
Comentarios do Facebook:



Links Úteis